Como é o Tratamento da Gripe H1N1 na gravidez?

Como é o Tratamento da Gripe H1N1 na gravidez?

Você se lembra do surto mundial de gripe H1N1 em 2009? Nos últimos anos, esse vírus voltou a virar manchete nos jornais e vem causando um certo medo por conta de suas complicações, que podem levar uma pessoa à óbito. 

E se a simples menção de uma gripe H1N1 já provoca calafrios, nas mulheres grávidas, então, a atenção precisa ser redobrada. Essa infecção pode comprometer não só a saúde da mãe, mas também a do bebê.

Pensando em esclarecer como é o tratamento da H1N1 durante a gravidez, preparamos este post que também traz os sintomas e as formas de prevenção da doença, bem como o que ocorre quando a mulher contrai o vírus no final da gestação.

Desejamos uma excelente leitura! 

Gripe H1N1 na gravidez

A gripe H1N1 é causada pelo vírus Influenza A (H1N1). Assim como uma gripe normal, essa infecção viral afeta o sistema respiratório. Mas esse vírus tem algumas especificidades que a colocaram no centro das atenções nos últimos tempos.

De acordo com o Ministério da Saúde, existem três tipos de vírus influenza que circulam no Brasil: A, B e C. O vírus influenza A e B são responsáveis por epidemias sazonais. E apenas o vírus influenza A é responsável por grandes pandemias, como a de 2009. Já o vírus influenza C causa infecções respiratórias brandas, não possuindo impacto na saúde pública.

As principais complicações da H1N1 são: pneumonia bacteriana ou viral, sinusite e insuficiência cardíaca e/ou respiratória. 

As mulheres gestantes fazem parte do grupo de risco para a gripe H1N1, por conta das mudanças no sistema imunológico, pulmonar e circulatório durante a gravidez. Mulheres puérperas, crianças com menos de 5 anos e idosos acima de 60 anos também fazem parte do grupo de risco. 

Neste caso, as complicações dessa gripe interferem principalmente na saúde da mãe, podendo levar às consequências citadas acima. Em casos extremos, a infecção pode levar ao parto prematuro. 

Quais são os sintomas da Gripe H1N1 para gestantes?

Os sintomas da gripe H1N1 para gestantes são os mesmos da gripe comum, mas mais intensos, exigindo o repouso absoluto. Também é possível levar em consideração se está em época de surtos ou epidemias. Mas o diagnóstico preciso será identificado apenas por um médico. 

Entre os principais sintomas, estão:

Esta infecção também desencadeia sinais de alerta, tais como:

Sentindo quaisquer sintomas ou sinais de alerta, é necessário procurar atendimento médico o quanto antes. Se o H1N1 for identificado, o antiviral específico para combater a gripe tem maior eficiência nas primeiras 48 horas da doença. 

Qual é o tratamento da Gripe H1N1 para gestantes?

O tratamento da gripe H1N1 para gestantes deve ser orientado apenas por um médico. Como dito acima, é muito importante que a mulher grávida procure auxílio médico logo no início dos sintomas, pois o antiviral específico para combater esse vírus tem maior eficiência nas primeiras 48 horas da doença. 

Esse antiviral, também conhecido como Tamiflu, é recomendado para gestantes. Seus benefícios superam os possíveis riscos dos efeitos do remédio para o desenvolvimento do feto. É fundamental lembrar que nenhum medicamento, em hipótese alguma, pode ser tomado sem recomendação médica.

O tratamento para mulheres grávidas também exige repouso e bastante hidratação. Dependendo do caso, pode ser que o médico prefira manter a gestante internada no hospital em observação, especialmente no final da gravidez, por conta do risco de parto prematuro. 

Gripe H1N1 no pós-parto

Se a mulher for contaminada com o vírus H1N1 no final da gestação, ou durante o pós-parto, deve-se evitar o contato com o bebê. Nos primeiros 6 meses de vida, a 

criança não pode ser vacinada, nem ser tratada com medicamento antiviral. 

Portanto, é recomendado que a mãe utilize uma máscara cirúrgica, facilmente encontrada em farmácias, para cobrir o nariz e boca quando estiver perto do bebê. 

Por outro lado, não há provas de que o vírus Influenza A seja transmitido pelo leite materno. Em caso de dúvidas de como proceder a amamentação, consulte o seu médico obstetra. 

Como se proteger da Gripe H1N1?

A forma mais eficaz para se proteger é por meio da vacina, que evita casos graves, complicações e até mesmo o óbito. A vacina, ofertada pelo Sistema Único de Saúde (SUS), protege contra os três tipos de vírus (A, B e C). Para mais informações, procure um posto de saúde próximo. 

Além das mulheres gestantes, crianças de 6 meses a 6 anos, assim como mulheres que tiveram bebê há menos de 45 dias, também estão incluídas na campanha de vacinação.

De acordo com o Ministério da Saúde, a gestante pode tomar a vacina contra gripe em qualquer idade gestacional.

Medidas de higiene também podem ajudar a evitar a disseminação do vírus, tais como:

Considerações finais

A gripe H1N1 pode ser confundida com uma gripe comum, devido aos sintomas semelhantes, como dor de garganta e dor de cabeça, que podem se tornar mais intensos. 

Mas essa mutação do vírus da gripe pode levar a complicações gravíssimas, até mesmo ao óbito, e as gestantes estão enquadradas nesse grupo de risco. A H1N1 durante a gravidez prejudica a saúde da mãe e pode forçar um parto prematuro.

Por isso, é extremamente recomendado que a gestante compareça a um posto de saúde ou a um hospital assim que sentir os sintomas. Quanto mais cedo for diagnosticado o vírus, maiores são as chances de cura. 

E, para evitar possíveis casos da doença, não deixe de se orientar quanto à campanha de vacinação contra a gripe. Grávidas em qualquer idade gestacional podem se beneficiar da vacina e proteger a própria saúde, como a do bebê.

Se você achou que o nosso post ajudou você a entender sobre gripe H1N1 na gravidez, clique aqui e conheça o nosso Hospital Maternidade. 

Temos todo o conforto que você e o seu bebê merecem.

Autor: Equipe HMDL
Publicado há 2 meses

mail_outline
Inscreva-se na Newsletter do Blog do Domingos Lourenço e receba informações sobre maternidade direto no seu e-mail.