Grávida e bebida alcoólica: por que essa combinação não pode acontecer?

Grávida e bebida alcoólica: por que essa combinação não pode acontecer?

É normal que muitas mulheres se perguntem se, ao ficarem grávidas, poderão ingerir bebidas alcoólicas. Uma cervejinha ou uma taça de vinho, em situações pontuais, talvez?

O que já adiantamos para você é que qualquer indício de consumo de álcool durante a gravidez pode comprometer a saúde do feto, de forma irreversível.

E ainda pode desencadear várias complicações após o seu nascimento, além de casos extremos, como o parto prematuro e o aborto.

Preparamos esse post para alertá-la sobre o consumo de bebidas alcoólicas, mesmo que em pequena quantidade, nessa fase da vida. 

Desejamos que tenha uma excelente leitura!

Grávida pode beber?

O consumo de álcool durante a gravidez é extremamente grave para o feto. Como não há dados que comprovem uma quantidade segura de ingestão de álcool durante essa fase, é fundamental que a mulher grávida não consuma bebidas alcoólicas em nenhuma etapa da gestação.

Como o álcool é uma substância que atravessa a barreira placentária, os metabólitos do álcool podem causar danos não só aos órgãos da mulher, mas também às células do feto, em qualquer fase da gestação.

O conjunto de complicações geradas no bebê, por causa do consumo de álcool durante a gravidez, recebe o nome de síndrome alcoólica fetal, também conhecida como SAF. Entenda.

Síndrome Alcoólica Fetal

A Síndrome Alcoólica Fetal é o conjunto de danos físicos e mentais causados ao bebê, devido à exposição ao álcool ainda dentro do útero materno.

As desordens causadas pela SAF compreendem uma série de deficiências físicas, cognitivas, comportamentais e motoras. Em casos mais graves, ingerir álcool durante a gestação pode levar ao parto prematuro, ou até mesmo a um aborto espontâneo. 

Por isso, reforça-se a recomendação de que a mulher grávida não pode beber bebida alcoólica.

O álcool e as primeiras semanas de gestação

Em casos de gravidez não planejada, muitas mulheres não estão conscientes de que estão grávidas. E, nessa etapa, o feto exposto ao álcool também pode desenvolver sintomas da SAF, tais como hiperatividade e crescimento atrofiado. 

É o que diz uma pesquisa realizada pela Universidade de Helsinque, na Finlândia. De acordo com o estudo, beber durante as primeiras semanas de gestação, mesmo sem saber que está grávida, pode causar danos ao feto.

O primeiro trimestre da gravidez é essencial para o desenvolvimento do bebê. Neste período, ocorre a divisão e a diferenciação das células do feto. O embrião está vulnerável a influências externas e qualquer mudança pode se espalhar para os tecidos.

Por isso, é fundamental que a mulher, tendo qualquer suspeita de gravidez, realize um teste imediatamente, antes de consumir bebida alcoólica. Em caso positivo, a grávida não pode beber álcool. 

Danos ao feto causados pelo consumo de álcool

Os bebês que desenvolvem a Síndrome Alcoólica Fetal podem possuir complicações durante a vida. Algumas citamos abaixo.

Danos na face

Se houver a ingestão de álcool na gravidez, o bebê pode nascer com anomalias na face, como:

Danos aos órgãos

O feto exposto ao álcool ainda no útero pode desenvolver deficiências congênitas nos órgãos, como:

Danos relacionados ao crescimento

O bebê pode nascer com complicações na estatura, se houver consumo de bebida alcoólica na gravidez. Alguns desses danos são:

Danos no sistema nervoso

O consumo de álcool durante a gestação pode desencadear problemas mentais no feto, tais como:

Danos no aprendizado

Por fim, entre as complicações causadas pela SAF, é possível que a capacidade de aprendizado do bebê seja afetada. Entre as dificuldades que possam ser enfrentadas pelo indivíduo, estão:

Considerações finais

O consumo de bebidas alcoólicas durante a gestação é extremamente contra indicado. A mulher grávida não pode beber álcool, pois essa substância traz consequências irreversíveis ao feto. 

Entre essas consequências, estão danos nos órgãos, na face e na capacidade motora do bebê. Em casos mais extremos, o consumo de álcool pode levar ao parto prematuro ou ao aborto. 

Mulheres que não sabem que estão grávidas, devem realizar o teste em qualquer hipótese de suspeita. Como o primeiro trimestre do feto é essencial para o seu desenvolvimento, consumir bebidas alcoólicas nesse período pode agravar os riscos à saúde do bebê. 

Se você achou que o nosso post ajudou você a entender que mulher grávida não pode beber álcool, clique aqui e conheça o nosso Hospital Maternidade. 

Temos todo o conforto que você e o seu bebê merecem.

Autor: Equipe HMDL
Publicado há 3 meses

mail_outline
Inscreva-se na Newsletter do Blog do Domingos Lourenço e receba informações sobre maternidade direto no seu e-mail.

As pessoas também estão lendo...