Ultrassonografia obstétrica: todas as que a grávida não pode deixar de fazer

Ultrassonografia obstétrica: todas as que a grávida não pode deixar de fazer

A gravidez representa um momento delicado na vida da mulher e exige alguns cuidados para acompanhar o desenvolvimento do bebê e garantir que tudo ocorra com tranquilidade.

Um desses cuidados é o acompanhamento pré-natal, que envolve consultas regulares e exames de imagem, como a ultrassonografia obstétrica. Através desse exame, é possível avaliar o estado de saúde do bebê, determinar o sexo e identificar possíveis alterações morfológicas.

Pensando nisso, preparamos este artigo para que você conheça os exames e ultrassonografias que toda grávida não pode deixar de fazer.

Boa leitura!

O que é a ultrassonografia?

O exame de ultrassom consiste num método de diagnóstico por imagem que utiliza a ressonância magnética para detectar doenças e variações anatômicas, com base na forma, tamanho e textura dos órgãos avaliados.

A ultrassonografia é uma técnica que não utiliza radiação ionizante para a formação da imagem. É considerado um exame muito eficaz para o acompanhamento do desenvolvimento do feto e identificação precoce de possíveis alterações no avanço da gravidez.

Existem diferentes tipos de ultrassonografia. Os principais são:

Ultrassonografia convencional

Trabalha com imagens formadas em modo bidimensional.

Doppler

Dispositivo usado nos transdutores para detectar o deslocamento de fluídos, no caso da gestante, é utilizada para avaliar o fluxo de sangue da mãe para a placenta e a circulação sanguínea do bebê.

Ultrassonografia transvaginal

Um transdutor especial é inserido na vagina para observar o útero e os ovários. Como ocorre nos exames vaginais de rotina.

Confira a seguir as principais ultrassonografias para realizar durante a gravidez.

Primeira ultrassonografia

Quando fazer?

Entre a 5ª e 8ª semanas

Fatores analisados 

Na maioria das vezes, a primeira ultrassonografia é realizada por via transvaginal. No entanto, em algumas situações, devido à posição do feto, o médico poderá solicitar uma ultrassonografia abdominal.

O principal objetivo do primeiro ultrassom é verificar quantos bebês estão se desenvolvendo , ouvir o batimento cardíaco e determinar a idade gestacional (esse exame é o método mais confiável para determinação da idade gestacional. 

O exame também serve para identificar uma gravidez gemelar, e em caso positivo, verificar se os gêmeos dividem a mesma placenta ou estão se desenvolvendo separadamente.

Além disso, o médico vai analisar se o bebê está localizado dentro do útero ou nas trompas. 

Segunda ultrassonografia

Quando fazer

Entre a 11ª e 14ª semana de gestação.

Fatores analisados 

A segunda ultrassonografia é chamada de exame morfológico do primeiro trimestre. Este exame é mais detalhado e tem como objetivo analisar a formação dos órgãos e de toda a estrutura do feto. 

Além disso, nesse exame é realizada a translucência nucal, que consiste na medição do espaço na região do pescoço para determinar problemas cromossômicos, como a síndrome de Down. 

Terceira ultrassonografia

Quando fazer

Entre a 20ª e 24ª semanas.

Fatores analisados 

Neste exame, é realizada uma avaliação ainda mais completa do bebê para identificar a existência de diversos tipos de más-formações, como lábio leporino e até cardiopatias e problemas renais. 

Além disso, é realizada uma avaliação preliminar das condições da placenta, com o recurso do doppler, que avalia a circulação sanguínea e também se observa as condições do líquido amniótico.

Geralmente, este terceiro exame é realizado via transvaginal, para medir com exatidão o colo do útero e avaliar o risco de parto entre a 26ª e 30ª semana. Quanto mais curto é o colo do útero, maior a chance de o bebê nascer prematuro.

A partir desse diagnóstico, o médico pode prescrever os cuidados e a medicação adequada para minimizar o risco de parto prematuro.

Quarta ultrassonografia

Quando fazer

Entre a 28ª e 32ª semanas.

Fatores analisados 

O quarto e último exame é chamado de obstétrico e tem como principal objetivo avaliar o crescimento do bebê e descartar algumas formações de diagnóstico tardio, como a hidrocefalia. 

Além disso, a partir da 26ª semana, é avaliado se a placenta já está em sua posição definitiva (afastada do colo do útero) que é por onde o bebê sairá. Quando ela está obstruindo esse orifício, pode impedir o parto normal. Esta condição é chamada de placenta prévia.

Considerações finais

Como pudemos ver, o acompanhamento médico pré-natal é essencial para o desenvolvimento do bebê e a saúde da gestante. 

Um dos principais exames realizados durante o período pré-natal é a ultrassonografia obstétrica, que serve para acompanhar o desenvolvimento do bebê dentro do útero durante toda a gravidez.

O exame é extremamente útil para identificar, precocemente, possíveis alterações e tomar as medidas necessárias. Além disso, ele permite predizer a data provável do parto (DPP).

Por esse motivo, é importante contar com médicos de confiança para acompanhar a sua gravidez. Aliás, aqui no blog temos um artigo com excelentes dicas para encontrar um bom médico obstetra para ajudar você com mais essa tarefa.

Se você achou que o nosso post ajudou você a conhecer os exames e a ultrassonografias obstétricas, clique aqui e conheça o nosso Hospital Maternidade. 

Temos todo o conforto que você e o seu bebê merecem.

Autor: Equipe HMDL
Publicado há 1 semana

mail_outline
Inscreva-se na Newsletter do Blog do Domingos Lourenço e receba informações sobre maternidade direto no seu e-mail.